Alianças Estratégicas

O processo de formação de alianças estratégicas deve ser conduzido com cautela. No Brasil, sua efetivação requer a aprovação do Cade  que, dependendo das exigências, altera negativamente o retorno do investimento. Pode ser SEM ou COM participação acionária, cujos objetivos podem ser: Economias ou ganhos de escala; melhoria dos processos, serviços, produtos e mercado, e outros. Podem ter viés:

Comercial

Acordos de distribuição; representação, franchising; assistência comercial; central de compras; entre outras.

Financeiro

Participação minoritária; Non equity Joint Venture; Equity Joint Venture,  Fusão, Incorporação e Cisão.

Produção e Técnica

Consórcios para realização de projetos; assistência técnica; subcontratação; produção conjunta; P&D de novos produtos; licenciamento de patentes, etc.